Frequência de terremotos é incomum, adverte sismólogo chileno

23/08/2011 22:42

 Santiago de Chile, 14 mar (Prensa Latina) O reconhecidosismólogo chileno Sergio Barrientos alertou hoje aqui sobre a concentração de terremotos de excepcional magnitude em tão curto período de tempo, o que qualificou de incomum e algo que requer uma nova linha de estudos.

 

  Barrientos fez referência ao forte terremoto de dezembro de 2004 em Sumatra, que atingiu os 9,2 graus de intensidade na escala Richter; ao do Chile, em fevereiro de 2010, com 8,8 graus e ao do Japão, da sexta-feira passada, de 9,0 graus, ocorridos todos em menos de um decênio.

Comentou que movimentos telúricos dessa natureza deveriam ocorrer a cada 25 ou 30 anos e não concentrados em pouco mais de seis ou sete anos.

Dá a impressão  de que vieram agrupados. (…) Isso tem que ser estudado, destacou o diretor do Serviço Sismológico da Universidade do Chile em entrevista à rádio local.

Explicou que no caso dos três cataclismos mencionados se produz uma habitual deslocação e recolocação de placas, o que na sismologia é conhecido como subducção.

Considerou, por fim, que a inesperada sequência de tremores dará necessariamente origem a uma nova linha de estudos no tema sísmico.

O maior terremoto até o momento registrou-se no Chile em 1960, com uma magnitude de 9,5 graus na escala Richter.

rc/tpa/es

FONTE