Inverno rigoroso muda rotina de zoos do Hemisfério Norte

14/02/2012 06:34

O rigoroso inverno do hemisfério norte tem mudado a rotina dos zoológicos. Em países desenvolvidos, como o Reino Unido, a mudança é mais para quem trabalha com os animais. Por conta dos dias serem mais curtos - a noite cai por volta das 16h - funcionários dos zoológicos precisam providenciar todo o trabalho da jornada normal em um espaço de tempo consideravelmente menor.

"Nenhuma das espécies requer muita atenção extra durante o inverno", diz a assessora do zoológico de Londres, Emma Edwards. "Mas por causa do fato de que os dias são mais curtos, os funcionários têm que trabalhar duro para deixar tudo em ordem antes de o zoológico fechar. E isso significa muita varrição, muita faxina e muita alimentação para os animais. É complicado, porque às vezes está tão frio, que não dá para mexer os dedos!", diz Emma.

Nesta época do ano, a alimentação dos animais se dá nas áreas cobertas. "A rotina dos animais não muda muito, mas como eles preferem ficar nas áreas cobertas quando está muito frio, alimentamos eles lá. Às vezes aquecemos a comida para ajudar a manter a temperatura do corpo. As lontras recebem frutas quentes, e outros animais recebem batatas, ou comidas do tipo", diz.

Emma explica que, mesmo com as espécies tendo acesso às áreas protegidas durante todo o ano, no inverno a temperatura das jaulas é controlada com juta, uma fibra têxtil vegetal, em camas improvisadas, além de lâmpadas de aquecimento para os animais que são sensíveis ao frio.

Mas quando a neve cai, algumas medidas extras precisam ser tomadas. "Se o gelo cai, aí não podemos deixar alguns animais soltos. É o caso das girafas, se elas saírem do abrigo, podem escorregar e cair, o que é muito perigoso. Para compensar, tentamos mantê-las ocupadas ao máximo, usamos comedouros interativos e outras ferramentas para garantir que os animais continuem tendo seu comportamento natural e sejam mentalmente estimulados", diz a assessora.

Realidade paralela
Mas nem todos os zoológicos possuem os luxos disponíveis em Londres. Em Jaipur, na Índia, funcionários estão lutando para manter os animais aquecidos. Em documento divulgado pelo Jaipur Zoological Garden, a instituição avisa que além das camas de grama, cortinas de juta e aquecedores, os animais estão tendo uma completa mudança de dieta na tentativa de enfrentar o frio.

O zoológico possui um total de 800 animais, incluindo um par de emus australianos e babuínos africanos de diversas regiões climáticas. Providências especiais também foram tomadas para os animais mais imponentes, como tigres e leões, que tem na mudança da dieta um apoio para se manterem aquecidos e fortes no combate contra as doenças da estação.

Para eles, estão sendo reservados diariamente 3 l de leite, ovos e 8 kg de carne de cabra. Segundo os veterinários do zoo, esta alimentação ajudará a manter a energia dos animais por um período mais longo. A gerência do local também planeja fogueiras para combater o frio.

Além disso, para animais aquáticos - incluindo patos, flamingos e crocodilos - refeições consistindo de peixe fresco tentarão manter os níveis de proteína e gordura das espécies. Mas são as aves que sairão ganhando: alimentadas 3 vezes ao dia (um luxo no momento), elas também receberão aquecedores junto das gaiolas. Isso porque para a maioria, o inverno é a época de reprodução.

Recompensa
Mas todo o esforço parece estar sendo recompensado com o aumento no número de visitantes. O Jaipur Zoological Garden espera recolher fundos recordes neste ano. "O número elevado de visitantes significa que as pessoas estão se dando conta que temos muitos animais no zoológico, Além disto, estudantes, turistas estrangeiros e famílias estão se mostrando mais interessados no zoológico nos fins de semana", diz a direção do local.

Em Londres, a situação se repete. "Nosso público tem aumentado demais. E estaremos esperando muitos visitantes de todos os cantos do mundo neste ano por conta das Olimpíadas", prevê Emma Edwards.