Terremoto nas Filipinas afetou quase 442 mil famílias, dizem autoridades

15/10/2013 12:53

Após o terremoto de 7,2 graus de magnitude registrado na madrugada desta terça-feira na região de Visayas, no centro das Filipinas, o qual causou pelo menos 87 mortes, o Conselho Nacional de Gestão e Redução de Desastres informou que um total de 441.709 famílias foram afetadas pela catástrofe natural.

Em declarações ao jornal local "Inquirer", o diretor-executivo do organismo, Eduardo do Rosario, afirmou que os afetados precisam com urgência de comida preparada e água potável.

De acordo com Rosario, o número de famílias afetadas foi confirmado após a recopilação dos dados apresentados pelo Ministério de Bem-Estar Social e Desenvolvimento de Cebu, das ilhas de Bohol e de Siquijor, as regiões mais castigadas pelo terremoto.

Em Bohol, onde se situou o epicentro do terremoto, 13 centros de amparo foram instalados para abrigar cerca de 9 mil pessoas, embora haja mais de 102 mil famílias afetadas na região.

Na cidade de Cebu, situada a cerca de 40 quilômetros ao norte de Bohol, umas 336 mil famílias foram afetadas, além de outras 2,6 mil em Siquijor, que fica a 60 quilômetros do epicentro.

O terremoto também deixou 167 feridos e causou vários deslizamentos de terra, além de grandes danos nas infraestruturas da zona, tanto em hospitais como em estradas, pontes, edifícios oficiais e vários monumentos.

Pelo menos 10 igrejas históricas foram afetadas pelo terremoto, entre elas a Basílica Menor do Santo Menino, que data do século XVI e é considerada a mais antigo da Igreja Católica apostólica romana no país.

O Serviço Geológico dos Estados Unidos, que registra a atividade sísmica no mundo todo, localizou o hipocentro a 56 quilômetros de profundidade na cidade de Carmen, situada a 629 quilômetros ao sudeste de Manila.

O instituto filipino de sismologia (Phivolcs) confirmou a intensidade do terremoto - 7,2 na escala aberta de Richter -, mas localizou seu hipocentro a 33 quilômetros de profundidade.

As Filipinas se situam sobre o chamado "Anel de Fogo do Pacífico", uma zona de grande atividade sísmica e vulcânica que é abalada por uns 7 mil tremores ao ano, a maioria moderados.

No entanto, terremotos de magnitude superior aos 5 graus também são registrados de maneira esporádica no sul de Mindanao, Batanes e na região oriental de Bicol.